VONTADE  DE  PAZ

 

As vozes dos meninos o vento apanha

e depois as espalha entre  galhos e folhas

de arvores antigas, de grande raizes

que são escutar as coisas que dizem

para depois contar-las, embaixo... no fundo

ao Coração che bate no centro do mundo.

 

Se um menino sorri, sorri também o Coração

e eis nascer in um prado uma linda flor.

Se um menino è feliz, o Coração è contente

e nascem borboletas que dançam com o vento.

 

Mas, as vezes, os sorrisos viram choro:

as lagrimas caem, quentes e sem consolo,

atingem a Terra que trema, assustada,

vendo a morte misturar-se com a vida.

Ossezia, Israel, Iraque, Palestina...

entre as bombas e os fusieis a morte se finda,

levando consigo cecenos, afghanos

e tantos, tantos meninos africanos!

Bombardeiam, disparam e falam de paz,

o Coração do mundo não gosta esta coisa:

«Se de odio e de violencia você enchem a Terra,

não sejam mentirosos: chama-la guerra!

A paz è sorrir, segurar as mãos,

dormir tranquilos, olhar distante

e no fondo ver, no ceu sereno,

as sete cores do arcoiris.

Somente se você espalha a vontade de amar

o vento sorri e pode levar

as arvores antigos e as suas raizes

as vozes e os sonhos dos meninos felizes!»

                                                    Elio Giacone